Quais as perspectivas para o setor de moda e acessórios?

Quais as perspectivas para o setor de moda e acessórios?

A COVID-19 em 2020 forçou negócios de todos os segmentos a reverem suas estratégias de veda e se adaptarem aos novos hábitos e necessidades dos consumidores. Um dos setores que mais viu mudanças no comportamento do consumidor e consequentemente em suas vendas, é o setor de moda e acessórios.

Nos primeiros meses de isolamento social, muitas marcas tentaram reinventar seus modelos de negócio, vendo a necessidade de migrar para o digital e apostar em promoções agressivas em seu e-commerce. Mesmo assim, o setor sofreu um impacto grande, pois o consumidor, neste mesmo período estava cortando de seu orçamento, itens não essenciais o que inclui roupas e acessórios novos.

Houve a diminuição das compras no setor. Em pesquisa realizada pela Opinion Box, entre Março e Junho de 2020, 63% das pessoas não realizaram compras de roupas ou acessório, e isso se deve ao fato de que muitas destas pessoas tinham o habito de comprar em lojas de rua, de departamento ou em lojas de shopping.

Mas, quais são as perspectivas para o futuro do setor e o que o lojista pode fazer para inovar sua estratégia de vedas de acordo com as novas necessidades do consumidor? É sobre isto que iremos falar neste artigo.

Por onde começar a inovar no setor de moda?

A tecnologia passou a ser uma aliada poderosa para as empresas que estão realizando a transformação digital, a importância de somar tecnologia e experiência do usuário se torna algo imprescindível para um contato mais pessoal com o produto, e a estratégia de UX mais completa em contraposição à oferecida no comércio físico quanto possível.

Maghan Mcdowell, editora de inovação da Vogue Business, contou em sua palestra no Fórum E-commerce Brasil - Global Edition de 2020, quais as perspectivas para o setor de moda e ainda citou algumas inovações da editora, para entregar experiências únicas, futuristas e realistas para e-commerce

Muitas destas inovações levam em consideração entregar uma experiência personalizada somada com realidade virtual, tecnologia que está sendo explorada não só na moda, mas em segmentos como turismo e arte, construção e decoração, e muitos outros. 

 

Leia também: Metaverso: Novas possibilidades de negócios em ambientes virtuais.

 

Maghan também ofereceu insights em relação às inovações realizadas pela equipe da editora no início da pandemia:

Design digital 3D

Uma das dificuldades de realizar compras pela internet de roupas e acessórios, é a impossibilidade de provar peças, de saber como aquela roupa ficará em seu corpo, isso motiva muitos dos consumidores a optar por não realizar compras pelos canais digitais.

Pensando nessa necessidade, motivada pelo fato do consumidor não poder ir até uma loja física, a marca viu uma oportunidade de inovação que além de atingir em cheio esta necessidade do consumidor, também é sustentável.

O Design digital 3D, consiste basicamente em modelos de roupas tridimensionais com aspecto realista que se moldam ao corpo do consumidor, além de mostrar combinações para aquela peça. Além disso, tem a proposta de ser sustentável, por isso a peça só entra em produção após a compra.

Uma das principais empresas que estão apostando nessa tecnologia é a Tommy Hilfiger, que deu início em sua coleção de primavera em 2022.

exemplo de Design 3D da Tommy Hilfiger

Realidade aumentada

Você já deve conhecer o Snapchat e os filtros divertidos que o aplicativo disponibiliza ao usuário, o que talvez você não deva saber é que muitos desses filtros usam os princípios da realidade virtual e que podem ser usados a favor do seu negócio.

A realidade virtual possibilita muito mais interação do usuário com sua marca e produtos. Através dessa tecnologia é possível dar a oportunidade de experimentar acessórios, peças de roupas e até mesmo dar noção de proporção de produtos.

É uma tendência que pode ser explorada nas redes sociais como Facebook Shopping e Instagram Shopping.

Instagram Shopping

 

Leia também: Como as marcas estão investindo em NFTs e no Metaverso.

 

Roupas digitais

As roupas digitais, tem uma capacidade interessante para a interatividade do usuário com sua marca. Primeiro que possibilita experimentar roupas que fogem do estilo pessoal da pessoa, e incentivar visualmente a tentativa de adquirir um novo estilo.

Os últimos anos trouxeram um novo interesse no consumidor: o de experimentar coisas novas. E as roupas digitais são uma ótima opção, principalmente quando levada para a realidade do consumidor, que já está acostumado com uma experiência parecida em jogos ou algumas mídias sociais.

provador-virtual topshop

Drest

Um aplicativo que envolve o usuário em desafios e experiências com estilos de desfiles de moda famosos. O aplicativo permite criar combinações e compartilhar looks com outros usuários, e até sugerir votações de looks.

É uma ferramenta interessante para influenciar pessoas, inclusive marcas como Prada, Burberry e Gucci já disponibilizaram seus produtos no Drest.

No início da pandemia, a instalação do aplicativo cresceu cerca de 50% somente em Abril de 2020, e grande parte desse crescimento se deu pelo fato das pessoas estarem passando mais tempo em suas casas e estarem em busca de experiências diferentes.

Aplicativo-Drest-roupas-digitais

Vídeos

Mostrar produtos através de vídeo já é uma prática adotada por algumas marcas em sua estratégia de vendas no e-commerce. Além de mostrar mais detalhes do produto, os vídeos dão noções de proporção e criam uma atmosfera mais receptiva ao cliente.

Mas já pensou, efetuar vendas através de vídeo? Isso mesmo, uma das tendências citadas pela Maghan Mcdowell e bastante usada no Oriente por marcas de luxo, é a venda de produtos de moda por vídeos.

A ferramenta tem a proposta de ser dinâmica e utilizável em qualquer aparelho de video, dando ao cliente um atendimento exclusivo e uma experiência única. Além disso, é possível conquistar dados importante sobre seu cliente, como comportamento de compra, produtos de interesse, abandono de carrinho, produtos mais vistos.

 

Leia também: Live commerce: a tendência promissora das vendas online.

 

O que podemos concluir com estas previsões?

O setor de moda e acessórios sem dúvidas encontrou na tecnologia uma aliada para adaptar sua estratégia de venda online.

Criar experiências que se aproximam a realidade e que entregam ao cliente uma sensação de presença são uma tendência que se tornou muito valorizada. Vale também ficar de olho nas novidades que surgem em marcas conceituadas no mercado.

Aumentar o contato com o produto também será apreciado nas compras online, uma vez que o contato físico sofre restrições. Usar dos artificiosos de vídeo, tecnologias realidade virtual ou modelos 3D são uma ótima forma de aumentar este contato e expandir conhecimentos sobre Metaverso.

E aí, o que sua marca tem feito para se adaptar as novas necessidades do consumidor? Conheça as tendências para o e-commerce em 2022, baixe agora o ebook e tenha insights valiosos para o seu negócio.

Entre em contato para saber mais!

Evolua seu e-commerce! Conte com a ajuda do time Codeby, uma agência especializada em tecnologia, focada em performance e usabilidade para ajudar empresas a venderem mais através de seus canais digitais. 

 

Conheça nossas soluções conversando com nossa equipe de especialistas.

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.