Copa do Mundo 2022: Como o evento vai influenciar as vendas online

Copa do Mundo 2022: Como o evento vai influenciar as vendas online

Os canais digitais têm se desenvolvido de acordo com o avanço da transformação digital, trazendo benefícios e crescimento para empresas, tais quais melhorias na experiência do consumidor e aumento do volume de vendas.

Para que os resultados pudessem ser alcançados de maneira satisfatória, os empresários perceberam que é necessário conquistar uma estratégia digital inteligente, oferecendo experiências que pudessem centralizar informações em um ambiente digital completo e estruturado para o usuário. 

No ano de 2021, a Samba Digital lançou um estudo afirmando que 76% das empresas já estavam em processo de transformação digital. Para 2022, líderes de todos os segmentos continuam a aumentar os investimentos em tecnologia. 

Neste momento de constante evolução, empresas passaram a performar e atuar melhor diante de estratégias inovadoras que oferecem mais desafios do que padrões previsíveis. 

Segundo a Abcomm, a previsão para o varejo é de que até o final de 2022, haja crescimento no e-commerce, fechando o ano com receita líquida de até R$165 bilhões.


Leia também: Brasil é o 1º no ranking mundial de crescimento das compras online


O e-commerce é bastante utilizado na atualidade como canal de apoio de vendas dentro de empresas, em muitos casos, com potencial para se tornar o principal canal de geração de receita. Para isso é necessário compreender toda a iminência de interação, engajamento e vendas direta que estes canais digitais podem influenciar no varejo.

A ideia é que no futuro, o comércio eletrônico seja tratado como uma funcionalidade dentro dos canais digitais e não o meio mais importante. 

Para o consumidor, antes da crise já havia a busca por experiências diferenciadas que fossem positivas, influenciadas especialmente por bom atendimento, relacionamento e comunicação das plataformas de vendas. 

Em dados levantados pela revista Folha, podemos observar que muito disso se potencializou durante a pandemia, trazendo em 2020, no período de 100 dias, o aumento de 5,7 milhões de consumidores para o comércio digital.

Então faz sentido pensar no e-commerce como uma funcionalidade que faz parte de uma estrutura maior e unificada por uma boa estratégia, unificando as principais necessidades do consumidor: compra, experiência, atendimento, entre outros. 

Com a forte evolução da transformação digital, as novas tendências comportamentais do consumidor passaram a destacar novos hábitos. 

Com isso, trouxe também consumidores mais jovens adeptos do mercado digital, oferecendo novos desafios para qualquer um que não esteja preparado para atender às necessidades e exigências das gerações futuras.

Assim, pensar na experiência do consumidor, se tornou compreender que durante todas as etapas de compra suas motivações passaram a ser em nome da segurança e do conforto. 

Isso aconteceu porque o universo digital têm se tornado cada vez mais diverso, oferecendo inúmeras tendências tecnológicas que conciliam complexidade de acordo com o que o usuário busca. 

Interações com marcas e experiências de compra tomaram rumos extremamente diferentes do que costumavam ser.

De acordo com um estudo feito pela eMarketer, no ano de 2022, a expectativa é que o crescimento do e-commerce atinja 21%, atingindo o total de U$5,5 trilhões em todo o mundo. 

Dentre as datas destaque onde o e-commerce mais ganhará impulso, estão a Black Friday – que promete crescimento nominal de 5% nas vendas em relação ao evento de 2021, e a Copa do Mundo.

Diferente das edições anteriores, o maior campeonato de futebol do mundo acontecerá entre 21 de Novembro e 18 de Dezembro, impulsionando significativamente as vendas tanto no mercado offline quanto online.

Projeções do Mercado para o último trimestre de 2022

Com inúmeros eventos importantes para o varejo prontos para terem início no último trimestre de 2022, a aposta é que a Copa do Mundo irá alavancar o varejo, especialmente na venda de artigos esportivos e eletrônicos, como TVs, que consumidores passam a buscar em nome de melhorarem o conforto para assistir aos jogos.

Outros fatores importantes, como a breve queda na porcentagem de desemprego no Brasil, além do aumento de auxílios sociais disponibilizados pelo governo para a população, também poderão gerar receita para o mercado.

Segundo um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), espera-se que na Copa do Mundo 2022, haja o movimento de R$20,3 bilhões na economia brasileira.

Além do alto valor movimentado no mercado, o estudo também aponta que cerca de 60 milhões de brasileiros pretendem realizar compras neste período

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estimou também o crescimento de 7,9% no faturamento comparado com 2014, o ano em que o Brasil sediou o evento esportivo. 

Com isso, 56% dos empresários entrevistados no levantamento realizado pelo SPC Brasil e pela CNDL, afirmaram que possuem expectativa para aumentar as vendas durante o período da Copa do Mundo. Esse comportamento também demonstra graus de otimismo em diversos segmentos, como hotelaria – que espera-se ser o setor que mais lucrará com o evento. 56% dos empresários do setor de lazer, e 55,6% do nicho de alimentação também estão otimistas com o aumento das vendas.

Com a expectativa em torno do crescimento do faturamento do varejo durante a Copa, 45% dos entrevistados na pesquisa afirmam que o volume de vendas crescerá ainda mais durante os jogos, porém, quando separamos este resultado por estados, apenas mineiros (8%) e paulistas (5%) acreditam em um aumento elevado.

No Nordeste a expectativa é mais positiva, ultrapassando 15% dos entrevistados.

Com isso, podemos observar também que os consumidores devem gastar para assistir aos jogos. A maior parte do consumo deve ser com aumento (91%) e com bebidas (87%) durante a comemoração dos jogos.

 

Leia também: Tendências de Inovação para indústrias e empresas de Supermercado

 

Além disso, há também outros tipos de engajamento, 61% dos entrevistados afirmaram que vão comprar camisetas e itens da seleção, enquanto 54% esperam gastar com decoração verde e amarela.

Como se preparar para a Copa do Mundo 2022?

Segundo os dados que observamos anteriormente, pudemos perceber que a Copa do Mundo é uma grande oportunidade para promover e fomentar as vendas da sua loja online. 

Com as mudanças no comportamento do consumidor que já vem acontecendo nos últimos anos, a digitalização das vendas permanece como principal preferência na hora de realizar compras, demonstrando favoritismo às entregas a domicílio. 

Com a Copa do Mundo próxima do seu início, o YouTube registra grande interesse em torno da Copa Mundial da FIFA, ultrapassando o nível de busca de 2018 em 80%. 

Assim, é importante se lembrar que quando há mais buscas, há também o maior número de views. De fato, o evento em 2022 pode registrar o tempo assistido em mais de 30%, atingindo 300 milhões de pessoas segundo dados levantados pelo Google.

Depois de tanto tempo em isolamento social e distanciamento de eventos esportivos, muita gente tem aproveitado partidas ao vivo para poder aproveitar o tempo perdido. Embora parte dos apreciadores de futebol poderem ir ao Qatar assistir à Copa do Mundo 2022, dados sugerem que haja aumento crescente no interesse online versus offline.

Em 2018, a busca online pelos jogos da Copa ultrapassaram as buscas offline. Embora tenha havido 3 milhões de participantes presenciais, houve também 3 bilhões de buscas no Google e 5 bilhões de visualizações relacionadas à Copa do Mundo no YouTube.

Natal e Copa do Mundo

Para muitos, o Natal representa o auge do ano civil, quando há aumento na estratégia para engajar o público, aproveitar o espírito festivo e impulsionar as vendas. 

Pela primeira vez, a Copa do Mundo será junto da maior data festiva do ano, levando especialistas a ressaltar a importância do engajamento com fãs do esporte, criando conexão com suas marcas através de um evento que acontece a cada 4 anos.

Ainda assim, consumidores deixaram claro que pretendem reduzir gastos para o Natal por conta da crise financeira que pode piorar a partir do último trimestre do ano.

De acordo com os resultados do Painel de Consumidores do Varejo Econômico-Hyperjar, 77% dos consumidores planejam cortar no Natal deste ano e 39% dizem que planejam gastar muito menos. 

Ainda assim, há grandes expectativas para a comemoração que abrange tanto o Natal quanto a Copa do Mundo, onde os varejistas não devem subestimar amantes do futebol. No report Inside the mind of the Christmas consumer Will Higham, especialista em Consumer Insights, aponta dados sobre a UEFA Women’s Euro, que atraiu 4 milhões de espectadores para a partida de abertura da Inglaterra. 

De tal forma, Higham também afirma que a Copa do Mundo, como todo evento que instiga ânimo e oferece desculpas para celebrações, será uma grande desculpa para que o consumidor gaste dinheiro, porém em menor quantidade e com maior cuidado.

Diferente dos anos anteriores, onde grandes eventos esportivos (Copa do Mundo, Olimpíadas, Olimpíadas de Inverno, etc.) tinham seus próprios padrões de gasto, assim como o Natal e outras datas comemorativas, no ano de 2022 os interesses de compra irão se colidir. 

Como sempre, os grandes vencedores de vendas em eventos esportivos como a Copa do Mundo, são os aparelhos eletrônicos, em especial, TVs, seguido por vestuário e alimentação.

Em 2022, a previsão para estas vendas é um pouco menor. Nos dados levantados pela no report de Natal, há previsão de que os valores de venda na categoria de eletrônicos cairá 2% no último trimestre, mesmo com a inflação.

Durante as Copas do Mundo anteriores, houve aumento nas vendas de TV em até 5%, porém, de acordo com os dados levantados pelo GfK Market Insights Panel Market, este aumento não é esperado em 2022 graças à crise e também, como um efeito de ondulação por conta da Pandemia.

Isso porque, em 2020, as vendas de TVs aumentaram de acordo com o fator isolamento social, que levou consumidores a atualizar e substituir seus aparelhos enquanto estavam em casa.

Antes da Pandemia COVID-19, o volume de vendas de TV no mundo estava estável em cerca de 146 milhões de unidades por ano, exceto na América do Norte, porém, em 2021, essa quantidade caiu para 129 milhões.

Há também o fator relacionado com a Black Friday, porém, a combinação da Copa do Mundo com a Sexta-feira mais importante para os negócios continua sendo uma grande oportunidade de vendas. Matt Newman, diretor da categoria de eletrônicos de consumo da Currys, revela que embora haja projeção para a queda das vendas de eletrônicos, as TVs ainda serão o foco principal da categoria varejista para a Copa do Mundo. 

 

Leia também: As expectativas para a Black Friday 2022 e como preparar seu e-commerce para o sucesso

 

A tendência é que o evento aumente o entusiasmo dos clientes, aumentando também os estímulos para a compra de novos aparelhos. Apesar do confronto, espera-se que os fundamentos permaneçam consistentes - os clientes ainda vão buscar por  ótimos produtos, ótimos preços e ótimos serviços.

Em relação aos desafios, um dos maiores testes será garantir que o varejista se prepare para os clientes investirem em tecnologia, tanto no online quanto no offline.

Steve Jackson, chefe da categoria de tecnologia da John Lewis, afirma:

"O custo de vida pode ver os clientes apertando seus cintos, mas normalmente vemos as vendas destes itens tecnológicos aumentarem tanto por volta do Natal quanto para eventos esportivos, então com os dois caindo juntos estamos fazendo preparativos para garantir que possamos atender a demanda dos clientes".

Dicas para uma boa campanha durante a Copa do Mundo

A Copa do Mundo sempre foi um evento de extrema alegria e importância para os brasileiros. Com isso, é importante se lembrar que este é um período de buscar fidelização com o público e oferecer boas experiências na jornada de compra.

Muito embora a Copa do Mundo ocorra no offline, a experiência também é online. 

Com isso, selecionamos algumas dicas importantes para preparar seu negócio durante os jogos. Confira:

  • É interessante realizar concursos que resultem em prêmios com a Copa do Mundo como tema;
  • Criação de produtos ou serviços com temas limitados ao Futebol;
  • Oferta de descontos que possam refletir o resultado dos jogos, por exemplo o placar das partidas;
  • Gerar e promover conteúdos relacionados ao evento.

Conclusão

Concluindo, podemos perceber que a Copa do Mundo é uma grande oportunidade para estimular as vendas da sua loja online e fidelização dos seus clientes. 

Apesar da Copa do Mundo estar atrelada a datas importantes, como Black Friday e Natal, é ainda mais importante estar atento aos investimentos que seu negócio fará para promover as vendas online. 

Em um momento altamente competitivo do mercado, onde consumidores buscam melhores experiências e atendimento personalizado, não é uma má ideia aderir ao espírito esportivo durante um dos eventos mais esperados dos últimos 4 anos.

O volume de consumidores digitais que vem crescendo nos últimos anos comprova que é impossível estar 100% confiante com a infra-estrutura da sua loja online. Por isso, é importante garantir que as estruturas estejam tecnologicamente preparadas para oferecer a melhor experiência.

É também necessário investir em inovação e buscar o melhor para inserir a sua loja dentre as principais escolhas do cliente durante datas comemorativas.

 

Conheça os serviços da Codeby

A Codeby é uma empresa especializada em tecnologia que busca transformar a experiência de compra nos canais digitais dos nossos clientes. 

São mais de 7 anos no mercado, mudando a realidade de grandes marcas através de soluções tecnológicas personalizadas para ambientes de lojas virtuais. 

Estamos há 4 anos entre os parceiros MVP da plataforma VTEX, além de sermos parceiros importantes de plataformas como Shopify e LINX, com profissionais certificados em todas estas tecnologias. 

Deja un comentario

Ten en cuenta que los comentarios deben aprobarse antes de que se publiquen.